sábado, 3 de novembro de 2018

Maria Guinot 1945-2018


Tinha 27 anos quando vi Maria Guinot representar Portugal no Festival da Canção. Num mundo dominado por autores do sexo masculino , "Silêncio e Tanta Gente" com letra e música da autora, traz-nos delicadeza e sensibilidade. 

Silêncio e Tanta Gente

Maria Guinot
Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
É um grito
Que nasce em qualquer lugar
Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um altar aonde não estou
Às vezes sou o tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar
Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão
Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou é um grito
De um amor por acontecer
Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou
Às vezes sou o tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar
Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão
Às vezes sou o tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar
Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Em 2014 Lúcia Moniz consegue cantar a música com parte da nossa história a passar por trás.


Celebro o que a Maria Guinot nos deixa todos os dias.
Uma música de sempre, para sempre.
Obrigada Maria Guinot.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

The Path

domingo, 7 de outubro de 2018

Avózinha

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Sobre a Cegueira